ECONOMIA CIRCULAR UMA DAS BASES DO ESG



A economia circular é uma das bases do ESG. Reduzir as emissões de carbono e atingir as metas do Acordo de Paris, única maneira cientificamente comprovada de conter as mudanças climáticas, passa por retirar e reutilizar boa parte do plástico em uso no mundo, além de outras matérias-primas. Fora a contenção da poluição dos oceanos, um problema crescente e ainda sem solução no curto prazo.


Com a disseminação do ESG, também ganhou força a ideia de que as empresas são responsáveis por aquilo que produzem, da fabricação ao descarte, incluindo o material usado para embalar os produtos. Desse entendimento, surgiram novas leis, no mundo inteiro, o que não foi diferente no Brasil. Em 2010, foi aprovada a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que determina como as empresas devem tratar o seu lixo. Como lei no Brasil demora a “pegar”, a PNRS só foi regulamentada em janeiro de 2022. Agora, é pra valer.


Em abril, o governo federal lançou o Recicla+, programa que institui o Certificado de Crédito de Reciclagem. É uma forma mais fácil para as empresas se enquadrarem na PNRS, já que a alternativa seria instituir um projeto próprio de logística reversa, algo muito mais caro e trabalhoso. Além disso, o crédito de reciclagem fomenta e desenvolve a cadeia de cooperativas de catadores, o que confere um aspecto social ao negócio.


Fonte: Exame ( MAIS : https://exame.com/esg/como-funcionam-creditos-reciclagem/ )