EM MATERIA DIVULGADA PELA VEJA, INFORMA QUE O PAÍS VAI DOBRAR ÁREA DE TRIGO E VIRAR EXPORTADOR’

(CHEFE DA EMBRAPA)

Uma surpresa foi anunciada quanto ao agronegócio brasileiro, no primeiro trimestre deste ano. Um tradicional importador de trigo, em especial, da Argentina, o país exportou mais do que comprou no período. Com Rússia e Ucrânia em guerra, os dois líderes mundiais na produção e exportação de trigo, ao lado dos Estados Unidos, o preço internacional da commodity bateu recordes. Nesse cenário, a produção brasileira, aproveitando o real desvalorizado, era uma das mais baixas em preço, o que levou o país a exportar 2,2 milhões de toneladas, no primeiro trimestre.


Mas isso só foi possível porque um importante trabalho de produtividade e avanço tecnológico foi feito no campo no país, e que pode levar o Brasil a se tornar em uma década um consistente exportador da commodity,


A rastreabilidade da cadeia produtiva, para evitar desmatamento, avança entre as commodities.


No ano passado, um dos bons produtores da região, de Cristalina, em Goiás, bateu o recorde mundial de produção de trigo, com 9.630 kg/hectare. Com a tecnologia, nós mostramos para o mundo que podemos produzir trigo na região tropical, sem desmatar um milímetro quadrado de área verde. Só com o Cerrado nós conseguiremos dobrar a área de trigo do Brasil.


Mais recentemente nós colhemos trigo em Roraima, uma região que está acima da Linha do Equador. Foi algo completamente inesperado. Nós colhemos trigo de excelente qualidade e conseguimos uma média de 3.000 kg por hectare. A média do Brasil é de 2.748 kg. Portanto, em uma década, o Brasil pode sair de importador para exportador de trigo.


Fonte: VEJA - Por Renan Monteiro

Foto Getty Image