LIDERANÇA FEMININA AVANÇA NA AGENDA ESG SEGUNDO PESQUISA

Em análise do desempenho geral ESG, as empresas que possuem mulheres na diretoria demonstraram melhores pontuações em relação as empresas com ausência de executivas em cargos de liderança



De acordo com uma pesquisa publicada pela GV-executivo (da Fundação Getulio Vargas) na análise do desempenho geral ESG, as empresas que possuem mulheres na diretoria demonstraram melhores pontuações em relação às empresas com ausência de executivas em cargos de liderança que demonstraram estar no grupo de baixa performance. A pesquisa constatou que 31%, ou 16 entre 52 organizações se apresentaram no grupo Baixo ESG e não possuem a presença de mulheres tanto na diretoria como no conselho. Já no grupo que apresenta alta pontuação em ESG, essa dupla ausência cai para 17%, ou seja, 8 em 46 organizações.